Mantenham os vossos rosários longe dos nossos ovários

Foi ontem publicada uma notícia que dava conta da actividade do grupo anti-escolha «Mãos Erguidas» junto à Clínica dos Arcos, em Lisboa.
Segundo a notícia, este grupo, que até já tem uma sede no local que lhes custa 1500 euros mensais, organiza-se para rezar o terço pelos não-nascidos e, dizem, já conseguiram demover 14 mulheres de abortar. Pelos números publicados, a taxa de sucesso dos terços ronda os 0.22%. Mas não é sobre a capacidade auditiva de deus que me quero pronunciar.

As mulheres que se dirigem a esta clínica ou a qualquer outro local devidamente autorizado para interromper a gravidez estão protegidas pela lei, mas, infelizmente, ninguém as protege da cretinice dos grupos anti-escolha.

O patrulhamento do útero das mulheres, a vigilância a que as suas decisões estão sujeitas e a atemorização de que são alvo não são suportáveis.

Estes grupos continuam a reduzir as mulheres ao reino da infantilidade não lhes reconhecendo capacidade nem maturidade nas decisões que tomam, continuam alimentar a esterilidade da oposição entre não-nascido e mulher vivente e a forma que encontram para o fazer é a atemorização e a ameaça do castigo divino.

Nenhuma lei os impede de rezarem os terços que quiserem à porta dos hospitais ou das clínicas. Apenas o bom senso e o respeito os poderia travar. Mas isso, percebo agora, não é uma questão que se lhes coloque.

Sugiro à trupe dos terços que reoriente o seu afã salvífico e que organize piquetes à porta das igrejas para tentar demover os padres de violarem crianças. Atrevo-me mesmo a dizer que a taxa de sucesso de «bebés salvos» seria substancialmente superior.

4 comentários:

Anônimo disse...

Volta PSR... Estás perdoado! Cartazes desses já não se fazem... mas deviam.

Renato Teixeira

Andrea Peniche disse...

Curiosamente, em 1998 foram alvo de um coro de protestos, da direita à esquerda, chegando mesmo a ser acusados de muito terem contribuido para a derrota do SIM no referendo.

Anônimo disse...

Criticas injustas. Justas serão as críticas de hoje e o caminho que o levou à esquerda responsável, limpinha e de confiança.

Acho mesmo que se a vitória foi possível uma década depois se deve às muitas campanhas que como esta abriram caminho na consciência das pessoas.

Anyway boa lembraça. É sempre bom lembrar que já se falou claro sobre o tema.

Saudações.

Renato T.

Julio Seidenthal disse...

Por princípio e a princípio não sou a favor do aborto, mas grupo anti-escolha é ofender mais do que um estado de direito.

Postar um comentário