um espectáculo maravilhoso de se ver

«Zarvan Mandale não tinha aquilo a que chamamos grandes orelhas. As suas orelhas eram normais. Mas era uma pessoa que amuava muito facilmente. Quando Nadav Schiff lhe enfiou uma faca no peito ele, como seria de esperar, amuou um pouco.
- És mesmo idiota - vociferou Nadav, mal-humorado. - Se amuas por te ter enfiado uma faca no peito, nem quero imaginar o que farias se te espetasse um pontapé no cu.
- Não estou amuado - ensaiou Zarvan, sem conseguir disfarçar. - Apenas me quer parecer que estou ferido de morte e isso provoca-me um prurido muito desagradável na planta dos pés.
Nadav fervia por dentro. Detestava o tom mimado do outro. E acho que se pode dizer que por causa disso explodiu ali mesmo, a 43 graus de latitude Norte e 25 graus de longitude Oeste, no meio de um enorme clarão, todo ouro e azul. Foi um espectáculo marvilhoso de se ver».

Há cerca de quinze dias comprei e li este livro de pequenos contos absurdos do meu amigo Rui Manuel Amaral. Desde aí que o revisito constantemente em busca de uma boa risadinha. Até agora não tem falhado. O raio do livro é mesmo bom. E é por isso que vos recomendo a sua leitura.

7 comentários:

manuel disse...

Ainda te lembras da alcunha da prof. de cosmologia? "Vóvó Gestapo"! E o "insuperável" - Sieg Heil! - Brito!

Vaca Marada!

Andrea Peniche disse...

Da alcunha da Maria Manuel não me lembrava, até porque é injusta. Em compensação lembro-me do Valdemar «Valium», de Hermenêutica.
Quanto ao «insuperável dialelo» e a sua «Introdução à Filosofia do Direito», é impossível esquecer. Ainda me lembro dele a cantar o hino da mocidade portuguesa à porta de uma sala. Catedrático é intocável. Esse é o problema.

manuel disse...

A Maria Manuel era de epistemologia. Ainda me lembro de alguém protestar com um "buuu" (terás sido tu?) quando ela defendeu as propinas. A Maria Manuel era bastante simpática porém. E a de cosmologia também não merecia o epíteto mas pronto. Saudades daqueles tempos do Cavaco e da PGA eheh.

Andrea Peniche disse...

Tens razão, era a Pregitzer!
Saudades do Cavaco?! Olha que ele anda aí e bem vivinho da Silva.

manuel disse...

Mas na altura ele - o prof. Cavaco - comia bolo rei!

Bem, agora a sério, tenho saudades das aulas do Sardo e de uma coisa castiça: era possível fumar nas aulas! Só que na altura eu ainda não fumava.

Andrea Peniche disse...

É para ver a oportunidade que perdeste! E se continuassemos a conversa noutro sítio? Não tarda tenho os minoritários e as minoritárias a cairem-me em cima. Se facebookas, procura-me por lá.

manuel disse...

ahah Então antes de te espancarem aqui fica um mail: ljljuu@hotmail.com . Sou o único gajo sem facebook...

Postar um comentário