Mais uma cisão em nome da unidade


Jerónimo de Sousa já disse que "não se coloca" a questão dum entendimento eleitoral com o Bloco por causa, entre outras coisas, das "divergências em questões de fundo, em relação à União Europeia e em matéria económica". Mas a Ruptura/FER não se conforma e logo em seguida Gil Garcia pré-anunciou a saída do Bloco na próxima Convenção - a três semanas das eleições - "para formar uma nova força política que obrigue o PCP e o Bloco à unidade".

14 comentários:

kandimba disse...

O André Freire vai formar um novo partido para obrigar o BE a coligar-se com o PS. O Gil Garcia vai formar um novo partido para obrigar o BE a coligar-se com o PCP. Isto tá a virar moda. Estou a imaginar o programa destes partidos: Ponto 1 - Formar uma aliança com o BE e o (partido X), Ponto 2 - hããã....

André disse...

talvez o gil garcia o André Freire se juntem no mesmo partido... :p

Pedro Machado Santa disse...

whatevs...

Adolfo Torres disse...

O que vejo aqui é o Ruptura a deitar "as unhas de fora" e a querer o que quer muita gente. Métodos à parte, a esquerda unida para combater o capitalismo e disputar o poder, pelo povo, para o povo.

André disse...

sim, mas basta ouvir o discurso do tipo para perceber que as unhas são de silicone...

punca disse...

Excelente argumentação "andré", tudo vale para não discutir a unidade da esquerda, o Centrão agradece.

Já agora, quem quiser ver o discurso todos e não apenas este corte cozinhado para efeitos de descontextualização pode faze-lo aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=T4ipjpbKBCc&feature=player_embedded

Entretanto famosa cisão já foi desmentida, aqui:

http://rupturafer.org/index.php?option=com_content&view=article&id=214:rupturafer-nao-pretende-abandonar-o-bloco-de-esquerda&catid=87:quem-somos&Itemid=556

Ficaria bem aqui à malta da "minoria" postar também o desmentido... até a imprensa burguesa que deu eco à provocação já o fez.

E já agora seria interessante explicar porque é que a direcção do BE ou a malta a ela afecta rejubila tanto com uma suposta cisão no seu próprio partido, a ponto de já a andarem a anunciar há 5 anos, como se pode ver aqui:

http://www.combate.info/index.php?option=com_content&view=article&id=65:resposta-upturafer-um-mau-pretexto-para-anunciar-a-ruptura-com-o-bloco-de-esquerda&catid=21:bloco-e-apsr&Itemid=42

Será apenas a incapacidade de se assumir como sendo contra a unidade das esquerdas?
Qual o sentido de, num momento e que a ala mais moderada do BE mostra as unhas (essa sim, veja-se a polemica da moção de censura ou a votação favorável ao empréstimo à grécia), a direcção "anticapitalista", querer ver pelas costas a ala mais à esquerda? É por medo da disputa da convenção ou apenas para se reconciliar com os "direitistas" (era assim que a APSR chamava à PXXI antes de lhe entregar tds os lugares de destaque) o mais cedo possivel? Mais uma vez, o centrão agradece....

Abraço,

Manel Afonso

Luís Branco disse...

Fraca argumentação, Manel. Espero que não tenhas de a repetir aos que aplaudiram o Gil quando ele anunciou que se perder a Convenção vai criar uma nova força política para concorrer com o Bloco e o PCP...

punca disse...

Será fraca? Quando as perguntas retóricas não são respondidas é porque, parece-me funcionaram, mas admitindo que a argumentação foi fraca... é sempre melhor que argumentação nenhuma, que é o que sai do teu comentário.

Não ficarei à espera de resposta ou argumentos, mas se esse bónus vier, tanto melhor... mas tenham a seriedade de publicar o desmentido, é o mínimo.

Manel Afonso

Luís do Camões disse...

Caro Manuel Afonso,

Deixe-me dizer-lhe que tanta abespinhação lhe pode prejudicar a saúde. Acalme-se lá e aprenda uma coisa: as perguntas retóricas são precisamente aquelas que não têm por objectivo obter uma resposta. Não acredita?!... Então confirme aqui: http://www.flip.pt/language/en-US/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/3559.aspx

Se a fonte não lhe agradar posso sempre recomendar-lhe um prontuário da língua portuguesa.

Foi para mim uma enorme alegria cuidar que o Bloco se livraria, finalmente, da tralha rupturista. Mas, enfim, como quando a fartura é muita o pobre desconfia, também eu achei que isso era mais um devaneio de Gil Garcia, sempre tão empolgado como inconsequente.

Com grande tristeza, verifico hoje que a ameaça não se concretizará. É pena, mas compreendo. O que faria o Ruptura sem sanguessugar o Bloco de Esquerda? [Não responda, é uma pergunta retórica, eu próprio responderei] Nada! O Bloco é o ar que o Ruptura respira para poder sobreviver.

Outra questão. Gil Garcia fala em «derradeira batalha». Sabe o que quer dizer «derradeira»? [Mau, ainda não percebeu o que é uma pergunta retórica?!] Derradeira significa «última», ou seja, esta é a última batalha do Ruptura.

A minha esperança está, pois, toda depositada no respeito que Gil Garcia e seus camaradas «batepalmistas» tenham pela língua portuguesa.

punca disse...

Caro Luís de Camões fico contente de saber que ainda se encontra vivo. Ainda pensei que era alguém a esconder a sua identidade por vergonha de não ter opinião justificável, mas apenas uma amálgama de calúnias insultuosas... Mas depois de ver o conhecimento que possui sobre as subtilezas retóricas da nossa língua logo vi que só podia ser o poeta em pessoa, convertido às lides bloguisticas! Muito bem caro luís, vejo que como no século XVI contínua a ter uma visão parcial (fruto do olho perdido na mourama) e a servir os interesses de cortes bem instaladas s... Percebo que tenha perdido a coragem que o caracterizava há uns séculos, o tempo não perdoa!

Quanto à derradeira batalha.. se não o soubesse um poeta empenhado diria que se estava a escudar numa palavra para fugir à política, mas como sei que foi um percursor do maneirismo não o culpo por dar mais importância à forma que ao conteúdo e passo a explicar: última não significa imediata, esta é uma batalha que o Ruptura dá já desde a V Convenção e já na altura era a derradeira, pedimos desculpa pela demora da mesma, mas isso deve-se mais ao sectarismo da direcção do BE e do PCP do que à nossa política. Até lá continuaremos em batalha e contamos consigo para continuar a versar sobre as nossas lides... já debate político não esperamos, nem de si nem deste blog, que já demonstrou que para aí não está virado!

Deixo-lhe ainda um pedido, caro Camões, se encontrar por aí outro Luís, o Branco, peça-lhe que publique o desmentido do Ruptura/FER
Como você dizia: "Nos tempos grandes, o temor/é muitas vezes maior que o perigo"

Manel

Tiago Ribeiro disse...

Publicar o quê? Luís Branco e de Camões, foi decidido em CC do blog que aqui não se publica nada do Ruptura. Não há cá batatinhas com enguias para ninguém.

Luís do Camões disse...

Oh Manuel, você é a desgraça em pessoa. Usa mal os termos e não sabe ler. Eu sou o Luís do Camões. Podia ser o Luís da António Arroio, mas, na verdade, nunca tive queda para as artes.

Anônimo disse...

yaya, pau vem pau vai, vocês deliram com a perspectiva da FEr mas ninguém vos viu a falar do voto pró-guerra do Rui Tavares ou do ex-deputado do PS e ex-membro da comissão Política Vale de Almeida. Vocês querem a ala esquerda fora e a direita dentro. O resto, sim, são batatinhas.

Alex disse...

Tirando a punhetice intelectual, temos um bloco formado com 2 parias: a pária social democrata que não tem espaço na ala esquerda ps, e a pária do ruptura que por uma questao de bom senso ja se devia ter desvinculado do bloco há muito tempo.Até eu ja o fiz e nao sou marxista leninista

Postar um comentário